A casada safada cai na vara.

Meu nome é Ana Luisa, tenho 1,75 m, 58 kg, cabelos bem pretos e cacheados que bate um pouco acima da minha bunda, coxas meio grossas e seios médios, nasci e fui criada em Goiânia mas me mudei para Palmas/TO há 4 anos, meu marido se chama Moraes, é de Uberlândia, loiro e 1,82 m.

Somos casados há 2 anos e, apesar de estarmos sempre procurando inovar, sinto que o nosso casamento já caiu na rotina; sempre gostei de chupar um pau e meu marido sabendo disso, desde que namorávamos e dormíamos juntos, na
hora em que acordávamos, ele me mandava chupar o pau dele.

Todos os dias, quando eu acordava primeiro, eu o acordava dando uma bela chupada na pica gostosa dele e quando ele acordava por primeiro, ele me acordava esfregando o saco e o pau dele no meu rosto, e quando, mesmo assim, eu não acordava, ele batia com o pau em meu rosto, eu amava isso.

Acho a coisa mais gostosa do mundo chupar um pau bem limpo, mas eu também gosto muito de dar o meu rabinho, meu amor foi me acostumar agora tem que foder o meu rabinho direto.

Um dia ele chegou em casa e me viu pegando um bronze e disse que depois iria me dar uma boa chupada, parei de bronzear e fui tomar um banho e depilar a bucetinha.

Ele estava na sala, cheguei de roupão e abri na cara dele, puxei-o contra a minha buceta e ele já caiu de boca me chupando feito louco e começou a enfiar um dedo no meu cuzinho.

Foi então que me lembrei do que uma amiga minha havia me contado de que havia sido chupada pelo marido, enquanto um amigo de seu marido fudia o seu cuzinho.

Lembrando disso gozei na hora na boca de meu macho, ele continuou a me chupar e eu gozei mais 6 vezes na boca dele em menos de 20 minutos!

Ele me perguntou o que estava havendo pois ele nunca tinha me visto gozar tanto assim, pensei em dizer a ele que havia imaginado uma rola de um outro homem me fodendo o rabinho, mas ele me mataria!

Passei a ver filmes pornô de mulheres casadas traindo o marido e ate entrei em contato com uma mulher casada que postou um conto e ela me deu a maior força, eu precisava apimentar o nosso casamento, ate que se passou um tempo e acabei esquecendo o assunto.

No ultimo sábado de novembro eu e umas amigas combinamos de ir a casa de outra amiga comemorar o seu aniversario, meu marido estava trabalhando.

Coloquei um vestidinho preto, que meu marido amava quando eu usava, e uma calcinha bem pequena, já que eu detesto calcinhas grandes, um salto bem alto e fui de carona com uma de minhas amigas, já que o carro estava com meu marido.

Chegando la, notei que eu estava chamando muita a atenção de todos, já que eu usava um vestido meio curto, sentamos em uma mesa mas logo a minha amiga se levantou e foi pegar uma bebida pra nos.

De repente se sentou um rapaz na minha mesa e me cumprimentou chamando me pelo meu nome, foi ai que o reconheci, era um amigo de faculdade que eu havia quase namorado; ele era negro, alto e bem forte, ficamos um bom tempo ali conversando, relembrando os velhos tempos.

Chamei a minha amiga para irmos embora mas ela estava querendo ficar, já que tinha conhecido um carinha la, então esse meu amigo se ofereceu para me levar em casa já que era caminho para ele, na hora eu neguei mas como era muito tarde para pegar um táxi resolvi aceitar a carona.

Durante a viagem ele ficava sempre me elogiando, dizendo que eu estava mais linda ainda depois que me casei, chegando em casa, quando fomos nos despedir, ele colocou a mão na minha coxa, era uma mão enorme, me arrepiei toda.

Tentei sair rápido do carro, mas ele me pegou pela cintura e me puxou de encontro ao banco do carro e falou para me acalmar, senti então aquela enorme mão aproximando-se da minha bucetinha.

Ele era muito forte, me agarrou e me beijou a força, foi quando ele arrancou minha calcinha e deu uma cheirada dizendo que eu era a femea mais cheirosa do mundo.

Ameacei gritar e ele falou “va em frente“, empurrou o banco do carro para tras e começou a me chupar, me deu uma coisa que eu nunca havia sentido antes, em segundos eu gozei na boca dele.

Ele continuou me chupando mais um pouco e parou, se sentou no banco do motorista e eu pude ver aquele enorme volume; nessa hora uma luz de casa acendeu e ele falou:

– “É o seu marido te esperando…” – ainda em estado de êxtase eu olhei aquele homenzão com aquele enorme volume na calça e com a minha minúscula calcinha na mão cheirando, eu não pude resistir e mais que depressa pedi que me levasse a um motel.

Chegando no motel ele me jogou na cama e me deu um banho de língua, de repente ele já estava rasgando o meu vestido, como havia feito com a minha calcinha.

Eu gritei com ele e disse que meu marido gostava muito do vestido, então ele terminou de me despir e começou a chupar meu seio, enquanto acariciava a minha bucetinha com um de seus dedos, que mais parecia um pau de tão grosso que era.

Era quase da mesma grossura do pau do meu amor, de repente ele enfia aquele dedão na minha bucetinha que a essa altura tava ensopada, então pedi a ele que tirasse a roupa.

Quando ele tirou tudo, fiquei de boca aberta com o tamanho daquela pica, era muito grande! Nunca havia visto ou imaginado algo assim, ele me pegou pelos cabelos e me mandou chupar aquela rolona preta e brilhante, era muito grossa, quase não cabia na minha boquinha, mas ela tinha um gosto maravilhoso.

Eu chupava a cabeçona e ia descendo ate as bolas e depois subia ate a cabeçona novamente, ficamos assim por cerca de 20 minutos quando de repente ele saiu me arrastando pelos cabelos ate a cama e me jogou em um canto, ai ele me chamou de cachorra e mandou me que eu ficasse de quatro, feito uma cachorra, e chupasse mais o seu pau, e eu claro obedeci.

Então ele me pegou pelos cabelos e me deu um delicioso beijo, logo depois um tapa na cara e falou para que eu agradecesse a ele pelo tapa, me deu outro tapa e falou que eu era uma vagabunda safada que deixava o marido em casa para fuder com outro.

Eu não sei o que estava acontecendo comigo mas eu estava amando tudo aquilo, com um outro tapa eu cai na cama e ele falou para que eu me apoiasse na cabeceira e empinasse o rabinho para cima, prontamente obedeci e logo senti ele colocar aquela cabeçona na entrada da minha bucetinha, que ate aquele momento era bem apertadinha, segurou me pela cintura e socou aquela pica enorme na minha bucetinha.

Eu dei um berro na hora, ele havia me rasgado toda por dentro, ele falou bem baixinho no meu ouvido que eu tinha aguentado bem e que nunca uma mulher havia aguentado ele todo, tirou ate a metade e socou tudo novamente.

Quando ele viu que eu estava sangrando, começou a bombear mais lenta e suavemente, assim ele fez ate eu me acostumar, ai ele não teve duvida, voltou a martelar bem forte, meu rosto ficava batendo na parede, quando de repente o meu celular, que estava na cabeceira da cama, tocou, era o meu marido, ele falou para que eu atendesse, e foi o que eu fiz, mas ele não parou de socar a vara em mim.

Enquanto eu falava com meu marido, ele me comia bem forte e bem rápido, meu marido queria saber onde eu estava o que eu estava fazendo, parecia esta fazendo algo que cansava muito, disse a ele que não estava fazendo nada, e que eu estava dançando.

Então pedi a ele que me deixasse pousar na casa da minha amiga pois queriamos dançar mais, talvez iríamos amanhecer, ele então me liberou para poder ficar, so não sabia que eu estava de quatro na frente de outro macho, me mandou um beijo e um boa noite.

A cada segundo falando com meu amor naquele celular e sentindo aquela vara me rasgando sem parar eu ficava mais louca, mudamos varias vezes de posição, experimentei ate posições que eu nem sabia que existia, ele sem parar e com força, já estava acostumando com aquele pauzão quando ele falou para eu chupar o pau dele de novo.

Eu comecei a chupar, estava com o gosto da minha buceta misturado com a porra dele e suor, ele me deitou de bruços e passou a lamber o meu cuzinho, dei uma risada e falei para ele nem pensar, nunca dei o cuzinho pro meu marido e não seria ele, com aquele pauzão, que iria comer o meu cuzinho.

– “Toda cadela tem que ser enrabada…” – respondeu ele e continuou a chupar o meu cuzinho.

Logo ele pulou sobre mim deitada na cama, eu nada podia fazer em baixo daquele negão forte, então ele falou que se eu ficasse bem quietinha ele seria amável comigo; ele encostou a cabeçona na porta do meu cuzinho e começou a forçar, ele ficou muito feliz em saber que seria o primeiro a foder o meu cuzinho.

Ele empurrava a vara em mim e olhava no espelho para ver a minha cara de dor, que não era pouca, eu já não aguentava mais, mas quando eu ia reclamar da enorme dor que estava sentindo, ele deu uma empurrada mais forte e eu quase caguei de tanta dor, dei um grito para ele tirar ‘aquilo‘ de mim que eu não estava aguentando a dor, e ele me disse que eu aguentaria sim, já que havia enterrado a metade da rola.

Ele continuou enterrando aquela enorme chapeleta no meu cuzinho virgem, estava doendo muito, quando senti as bolas dele encostando na minha buceta, ele então falou que meu cuzinho tava com um salame gigante dentro dele, logo ele começou o vai e vem mais gostoso que eu já senti na vida, aquilo doía muito mas estava gostoso demais.

Logo eu estava rebolando na vara dele e ele me chamando de putinha do cuzinho apertado, ai que eu rebolava gostoso mesmo e ate empurrava o meu corpo contra aquele monstro de rola grossa, logo eu comecei a xingar ele de desgraçado pauzudo que estava esfolando o meu cu.

Acho que o motel todo escutou, então ele tirou e se sentou e mandou eu sentar na vara, e foi o que eu fiz, sentei na vara virada de frente para ele para que ele olhasse para minha cara enquanto ele me arrombava o rabinho.

Eu fazia careta, gemia, mordia os lábios e fazia ate biquinho, ele falou que eu estava linda assim, sentada na vara dele gemendo e fazendo caretas e com a minha bucetinha depilada e com marquinha de biquíni, ele me fudeu em varias posições ate que ele não aguentou mais e encheu o meu cuzinho de porra.

Era tanta porra que escorria pelas minhas pernas, ele deitou em cima de mim sem tirar a rola de dentro de meu rabinho, disse que era pra que meu cuzinho se acostumasse com a rola dele, então apagamos.

Acordei ás 09:00 da manhã com ele esfolando o meu cuzinho novamente, so que agora tava com camisinha, eu estava tão cansada que já tinha 1 hora que ele tava me fodendo o cu, logo ele arrancou a camisinha e me pegou pelos cabelos e meteu o pau na minha boca.

Comecei a chupar e quando senti um jato direto na minha garganta, tentei tirar mas foi em vão, ele me segurou bem firme e me mandou engolir a porra dele, era tanta que eu engasguei, vazava porra nos cantos da minha boca.

Depois que terminamos tomamos um bom banho e fomos embora, ele me deixou próximo de casa e me deixou o telefone dele, se eu sentisse vontade de apanhar mais era so ligar pro meu macho, disse ele.

Quando eu entrei em casa encontrei meu amor já fazendo o almoço, dei um beijo nele e disse que iria descansar um pouco, tirei toda a roupa e me deitei nua e apaguei.

Por volta das 17:00 hr então eu senti algo na buceta, era o meu amor me acordando de uma deliciosa maneira, chupando muito a minha bocetinha esfolada, deixei ele se divertir um pouco enquanto eu me recordava daquele pauzão do Marcos.

Hoje a nossa relação esta maravilhosa, continuo encontrando Marcos, mas e so uma vez no mês, mas vou ter que parar com isso já que eu descobri que estou grávida e tenho certeza que é do Marcos, agora eu estou com outras fantasias na cabeça e pretendo coloca-las em pratica, mas não sei quando.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s