Seduzindo a coroa.

Bem o que eu vou contar aconteceu há cerca de dois anos atrás. Sempre fui bonito, modéstia a parte! Nunca fui magro ou gordo, sempre tive pernão, bundão, sempre fui alto pra minha idade, moreno, olhos amendoados e um sorriso (segundo dizem) inocente. Mas de inocente eu não tenho nada.

Em compensação, sempre fui tímido com as garotas da minha idade! Não sei se é pelo fato de ter perdido a virgindade mais cedo e com uma mulher bem mais velha!

O fato é que eu não gostava muito do joguinho de enrola-enrola. Comigo o bom mesmo era olhar no olho e saber o que o outro quer e partir pra ação!

Talvez, por isso também, eu tenha me dado melhor com mulheres mais velhas! Esse fato que eu

vou contar retrata mais um desses acontecimentos.

Certa vez fui ao shopping que fica perto da minha escola (fazer não me lembro o que), e quando eu ando sempre gosto de encarar as mulheres, na maciça maioria das vezes elas nem dão bola, e se olham também logo disfarçam e seguem seus rumos.

No entanto, naquele dia eu encarei uma coroa sarada que aparentava seus 45 anos. Loira, um metro e setenta de altura, com bunda não muito grande, mas que peitos!

Estava vestida com uma saia de cintura alta que ia até os tornozelos (adoro mulheres de saia) e uma regata um pouco decotada, fazendo o estilo mostro aqui e escondo ali!

Ela vinha andando no corredor em minha direção e segurando a bolsa por um braço e o celular na outra mão, olhando as vitrines quando percebeu os meus olhares intensos.

Ela me olhou, e voltou sua cabeça pra vitrine, eu continuei olhando quando ela olhou novamente e ficou me encarando. Nessa hora fiquei um pouco nervoso, mas caminhei até ela olhando fixamente.
Ao chegar perto dela disse:

“Bom dia!”

Ela não me respondeu e novamente voltou sua cabeça pra vitrine onde observava sapatos. Ficamos calados por cerca de três segundos, quando ela comentou:

“São lindos não?”

E eu respondi como um aprendiz de cafajeste:

“Ficariam mais lindos em você…”

Ela deu um sorrisinho de canto de boca e disse:

“Obrigada, meu lindinho!”

Nessa hora eu tremi na base, pois percebi que pela primeira vez minhas cantadinhas baratas poderiam me levar a algum lugar! Nessa hora meu pau ficou duro! Agradeci ao elogio e ela me fez outra pergunta:

“Saindo da escola? Ou está indo agora?”

“Saindo!”

“Então tá de bobeira?” – perguntou ela.

“Sim, estou!” – respondi, pensei que ela ia me chamar pra sair de cara, mas ela resistiu um pouco:

“É uma pena que você seja tão novinho!”

Eu, com meus botões: “Nem sou tão novo assim!” – e encarei os seus seios pensando em tê-los em minhas mãos e depois em minha boca, sarrar neles e fazer uma espanhola enlouquecida.

Ela, percebendo o desejo com que eu a olhava, perguntou:

“E quantos anos tem o SENHOR?” – em tom irônico.

“18!” – respondi gaguejando.

Ela começou a rir caçoando da minha cara, nessa hora fiquei um pouco bravo e sem jeito! Puxa, eu já estava de pau duro, desejando lamber aquela mulher dos pés a cabeça e me esbaldar em seu gozo, enquanto ela ria de mim? Não deixei por menos e retruquei:

“Ser jovem não é de todo ruim!” – nessa hora, me movimentei passando por trás dela – “Pense pelo lado bom, você pode me ensinar a ser o parceiro sexual que você sempre sonhou! Disposição para isso é que não me falta!” – argumentei, deixando a minha mão tocar de leve na sua bunda, confesso que não sei de onde tirei coragem pra isso, mas sabia que ela queria me ter em seus braços tanto quanto eu a queria possuir, então não pesei, só fiz.

Percebi que ela amoleceu um pouco, e depois de um brevíssimo momento de hesitação, perguntou com ar decidida:

“Quer dar uma volta?”
Abri um sorriso safado de quem tem a certeza que a sacanagem vai rolar solta e perguntei:

“Onde está o seu carro?”

Até o estacionamento fomos conversando trivialidades, ela ria de tudo o que eu falava e eu fazia questão de sempre olhá-la com fome, com sede de quem não se alimenta há séculos!

Percebi que ela estava excitada, suas bochechas ficaram coradas, ela jogava o cabelo espalhando seus feromônios facilmente captados por mim, e percebi também os bicos dos seios dela arrebitados sob o fino pano da blusa. Apostava que sua buceta estava encharcando a calcinha, e não esperei muito pra tirar a prova.

Ao entrar no carro, deslizei a mão sobre a perna dela no intuito de tocar a sua preciosa buceta. Como ela estava de saia que ia até os tornozelos, deslizei a mão pela sua coxa, e ela paralisou olhando pra frente esperando o que eu ia fazer, então suavemente desci minha mão pra parte interna de sua coxa e apertei.

Ela virou a cabeça pra mim e ficou me olhando, tomei aquilo como um “Vá em frente”, então fechei minha mão em sua buceta e ela suspirou.

Fui mais em frente, fui colocando minha mão por dentro de sua saia, direto pra dentro de sua calcinha, senti o seu clitóris excitado, nossa como ela estava molhada! Ao descer um pouquinho mais os meus dedos percebi que ela estava toda depiladinha!

Nossa como eu adoro uma buceta depiladinha! Sem interferência dos pelos dá pra lamber, chupar, enfiar a lingua sem nada pra atrapalhar. E na penetração sentir virilha com virilha….

Quando tentei enfiar um dedinho nela, ela puxou minha mão devagar e disse quase grunhindo:

“Estamos no estacionamento… Coloca seu cinto garoto!”

Adoro ser chamado de garoto por uma mulher mais velha! Sinto-me desejado! Eu obedeci e coloquei o cinto.
Chegamos a entrada do motel, ela pediu pra que eu colocasse a bolsa na minha frente pra esconder um pouco a farda.

Entrei sem despertar suspeitas, nem acreditava que aos 16 anos eu estava no motel com uma coroa super gostosa! Isso era o sonho de todo garoto!

Estacionamos, descemos do carro e nessa hora meu coração disparou ainda mais, e senti o meu pau mais duro do que nunca.

Ela abriu a porta do quarto, entramos, joguei minha bolsa no chão e a agarrei por trás. Pressionei bem o meu pau em sua bunda e beijei o seu cangote, ela deixou cair a bolsa, virou de frente pra mim e me beijou.

Tirei minha camisa, meus sapatos e fiquei só de calça, enquanto tirávamos a roupa nos beijávamos loucamente, nossa, adoro quando a mulher não tem frescura, se lambuza toda na cama feito uma vadia!

Ela tirou a roupa e ficou completamente nua, comecei a beijar sua boca, depois o pescoço e fui descendo, quando cheguei aos seus seios alternava movimentos rápidos, pequenas mordidas e chupões, ela gemia feito uma louca e me chamava de meu garotinho!

Continuei ali por alguns minutos e desci pra sua buceta, chegando lá me deliciei, fiquei com a boca cheia de seu liquido, brincava com o seu clitóris, a via delirar, quando chupava bem ela ia fechando as pernas, ai eu pressionava seu cliris em forma de gancho e ela se abria como uma flor. Seus gemidos me deixava louco.
Depois desci da cama e encarando-a, tirei minha calça e minha cueca, parei com a minha pica dura bem na sua frente e disse vem!

Ela não titubeou, veio e começou chupando meu pau pela cabeça, nossa como ela chupava bem, e foi chupando até deixa-lo encharcado, de saliva e minha lubrificação.

Puxei sua cabeça e beijei sua boca loucamente, sentindo o gosto do meu pau e fazendo ela sentir o gosto de sua buceta!

Coloquei ela de novo pra mamar meu cacete, e ela continuou, até que perguntou:

“Vai comer minha bucetinha vai?”

“Claro, vc quer me dar?”

“Quero!”

Perguntei se ela tinha camisinha, mas ela disse que preferia me sentir por completo, eu não reclamei nem um pouco!

Ela se deitou de barriga pra cima e eu por cima dela, coloque meu pau em sua entradinha e comecei a bombardeá-la, ela suspirava tanto que chegava a ficar sem fôlego. Comi ela de lado, na posição do frango.

Quando a coloquei de quatro ela pedia:

“vai, vai mete com força, vai meu garotinho….”

E pressionava sua buceta no meu cacete. Percebi que ela estava a fim de um sexo mais agressivo, então dei um tapa na sua bunda, e ela soltou um gemido alto, bombei forte e dei outra tapa, repeti isso algumas vezes e ela foi à loucura.

Percebi que ela queria um homem que a fizesse se sentir uma mulherzinha, então puxei seu cabelo e não tive pena de sua buceta.

Pra terminar, coloquei ela de lado, bombei forte, brincando com seu clitóris e gozei dentro daquela coroa gostosa! Nossa soltei um urro forte e a agarrei pra ela sentir seu macho por completo.

Fiquei segurando-a e sentindo a sua respiração ofegante junto com a minha, e meu pau pingando dentro de sua buceta. Ficamos ali por alguns minutos. Depois a virei pra mim e a beijei, mordendo o seu lábio, cochichei olhando em seus olhos:

“Posso ser quem vc quiser, seu macho feroz ou delicado, o que vc quiser…”

Ficamos ali. Abraçados, com meu pau dentro dela, beijando-nos até adormecermos.

Acordei com ela tomada banho e chupando meu cacete mole, nossa ela já estava pronta pra outra, transamos novamente e fomos embora.

Continuamos a nos encontrar diversas vezes, e aprontamos muito por ai!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s