Aprendendo tudo com papai.

Banho…como uma palavra pequena que nos dá uma sensação tão grande de prazer e satisfação… Pra mim esta palavra é o inicio de tudo em minha vida, me lembro quando tinha 7 anos adorava tomar banho, era meu momento de privacidade e descobertas, adorava ficar me ensaboando não apenas pela espuma, mas por poder ter um pretexto para me tocar.

Em um desses banhos descobri que quando massageava minha bucetinha dava vontade de algo mais que não sabia bem o que era mas tentava assiduamente descobrir.

E foi em uma dessas vezes que mamãe entrou no banheiro de surpresa, pois a porta estava destrancada, e me viu brincando, gritou e brigou comigo, disse que uma mocinha não podia se comportar daquela maneira.

Chorei sentida afinal como uma coisa tão gostosa poderia ser errada? Ouvi mamãe contando para papai o episódio do banheiro e ai sim fiquei com mais vergonha, ele sempre foi meu heroi e naquele momento eu o decepcionava.

Chorei a noite toda com medo e romorso do que eu tinha feito e prometi a mim mesma não mais decepcioná-los. No dia seguinte, quando mamãe foi trabalhar (ela era médica) e fiquei em casa como sempre com papai, (ele era instrutor de academia por isso tinha horarios mais flexíveis e ficava comigo quando eu saia da escola) quando o vi logo abaixei a cabeça, mas ele mexeu no meu cabelo e disse:

“Filha… sei que sua mãe é muito rigorosa em alguns assuntos não tenha vergonha do seu corpo ou o que ele faz você sentir…”

Aquelas pavavras ficaram gravadas na minha mente e definitivamente amei mais meu pai como se isso fosse possivel.

Naquele dia mamãe dava outro plantão e eu, me sentindo mais livre, fui tomar meu banho aproveitando a ausencia e o medo das repreenções dela.

Estava me ensaboando de olhos fechados, me tocando, quando, sentindo algo estranho, abro os olhos e vejo meu pai me olhando fixamente como que paralisado…

Mais uma vez fiquei com medo do que iria acontecer, e o que aconteceu foi bem diferente do que eu esperava.
Ele chegou perto de mim e disse:

“É gostoso né filhinha? Vou te ensinar como fazer direitinho…”

Ele sentou no chão e, mesmo se molhando, me colocou em seu colo, abriu minhas perninhas e começou a mexer na minha bucetinha, sentia mais gostoso do que quando eu mexia, ele fazia diferente e melhor, soltei um gemidinho e ele deu um sorriso e brincou:

“Quer mais?”

“Sim papai, por favor!”

Ele então me enxugou e me levou para o meu quarto, deitou-me na cama, abriu minhas perninhas e começou a dar beijinhos onde antes mexia com os dedos, logo depois começou a passar a lingua e a chupar minha bucetinha. Eu gemia e pedia mais e mais, não queria que ele parasse, quando de reprente senti um gozo forte.

Senti que ele lambeu o caldinho que escorria e perguntei:

“Pode fazer mais papai?”

Ele olhou pra mim sério e disse:

“Sim mas é o nosso segredinho certo filhinha?”

Nisso reparei que havia um volume enorme no short dele e perguntei:

“Posso tocar?”

“Claro filhinha… é que o papai também esta com vontade… quer aprender fazer igual fiz pra você?”

“Posso?”

Mal acabei de dizer ele abaixou o short e a cueca, pela primeira vez vi uma pica e aquilo me fascinou!!! Vendo meu fascinio ele pediu que eu o beijasse e lambesse como um sorvete.

Fiz direitinho, conforme ele ia me instruindo, quando de repente ele dá um urro e uma gosma branca sai da pica dele, lambusando todo o meu rosto…

Como ele tinha lambido meu caldinho resolvi provar o seu e adorei o gosto, sabia que aquilo me dava um elo a mais com papai.

Depois deste dia, sempre que estavamos em casa sozinhos, chupavamos um ao outro e gozavamos em total cumplicidade e sempre arranjava um jeito de sentar no seu colo e sentir a sua pica dura roçando minha bundinha

image hostÁs vezes sentava até de pernas abertas para esfregar a minha bucetinha na pica dura dele, ficavamos nessa esfregação até vendo TV e várias vezes ele melou a minha bucetinha só nessa brincadeira…

Mamãe, tão focada no mundo dela, não percebia nada no nosso modo carinhoso e olhares cobiçosos. Nós gozavamos sempre e parecia que agora já não era o suficiente, queria mais, e naquele dia resolvi ter uma conversa com papai. Ele me ouviu atentamente e disse:

“Então esta na hora de começar a aprender mais coisas…”

Foi até uma o guarda roupa dele, pegou um DVD e colocou no aparelho e me chamou:

“Senta aqui filhota!”

Assisti meu primeiro firme Pornô e aquilo me deu muito tesão, fui observada o tempo todo e indagada se estava gostando, sem perceber comecei a me tocar, então papai disse:

“Senta no colo do papai pra assistir…”

Ele me sentou no colo de pernas abertas e de costas pra ele, senti minha calcinha sendo afastada e ele brincando com a minha bucetinha, bem na hora em que, no filme, um cacete enorme penetrava a buceta da atriz, então ele cochicou no meu ouvido:

“Olha que delicia filha… quer um aqui dentro também…?”

“Sim… muito!!!”

Então nossas seções de TV ficaram mais quentes, ficavamos nus apenas nos tocando e vendo filmes pornos que aos poucos começaram também a mudar para varios temas: dupla peletração, lesbicas, gang bang, zoofilia, etc…

A cada filme eu ficava mais curiosa de como seria fazer igual, me imaginava e sentia mais prazer em cada toque novo que recebia.

Papai sempre perguntava qual a parte eu gostava mais… Chegou uma hora em que só me esfregar e ser chupada não me satisfazia mais, vendo tudo aquilo que eu podia fazer e não fazer nada parecia um castigo!!

Pedi então pro papai “me foder”, como nos filmes, ele pareceu aliviado no momento que eu disse isso e respondeu:

“Filhota não sabe quanto tempo eu espero você dizer isso!”

Ele prometeu que nossa foda seria naquela semana e seria muito especial, com comemoração e tudo, aguardei então ansiosamente o proximo plantão de mamãe…

Quando cheguei da escola, vi que papai não tinha brincado quanto a “comemoração” pois tinha bolo, sorvete e até champagne!!!

Mandou-me tomar um banho e fiquei surpresa quando, no banheiro, vi a pequena banheira de hidromassagem preparada para o banho.

Entrei nela toda feliz, afinal aquela banheira que, sempre me havia sido restrita, agora tinha sido preparada especialmente pra mim! Logo após papai entrou completamente nú e sentou-se de baixo de mim, me arreganhando inteira sobre ele.

“Gostou?”

“Sim!!!”

“Só esta começando…vai aprender a beijar o papai gostoso agora….”

Ele abriu minha boca e enfiou sua lingua dentro dela, me sugava e me lambia, como havia feito muitas e muitas vezes na minha bucetinha e aquilo me deixava com mais e mais vontade.

Comecei a mexer na sua pica e ele segurou a minha mão para que eu parasse, nisso senti um dedo forçando o lacre do meu cabaço e soltei um gemido.

Aquilo fez com que ele me carregasse até sua cama e me soltasse toda aberta sobre ela, vi a sua pica muito dura e aquilo me excitou muito.

Ele começou então a chupar e lamber a minha bucetinha… gozei quase que imediatamente. Antes de acabar de gozar, ele alojou-se no meio das minhas pernas e começou a meter a sua pica na minha bucetinha toda meladinha… soltei um pequeno grito de dor. Ele me calou com um beijo e disse:

“Agora vai melhorar filhota!”

Senti então toda a extensão da sua pica alojar-se dentro de mim e o pulsar dele me acendia, comecei a me mover lentamente e ele imediatamente começou a dar estocadas firmes.

O que eu sentia quando ele apenas me tocava e me bolia não era nada comparado com o que eu estava sentindo agora, me puxando mais, como se assim pudesse enfiar mais algo dentro de mim, deu um grande urro de gozou pela primeira vez na minha bucetinha. Quando ele levantou perguntou:

“Doeu muito?”

“Não é muito gostoso fuder papai…. agora quero que goze atraz também….”

Como se meu pedido tivesse um que de mágica sua pica endureceu novamente, ele me virou de bruços sobre um travesseiro e pediu que eu aguardasse um pouco.

Fiquei imaginando o que iria acontecer quando papai chega com uma taça de champagne e uma bola de sorvete. Deu me um pouco de champagne pra beber e brindamos a minha inauguração.

Logo me colocou de bruços novamente e com os dedos começou a massagear meu cuzinho dando beijos e lambidinhas, quando senti algo gelado (o sorvete) nele, ele colocou um pouco de sorvete sobre o meu cuzinho e começou a enfiar com o dedo, massageando e eu sentindo um geladinho gostoso e deslizante, logo senti mais um dedo me alargando para a grande inauguração quando ouço:

“Vamos ver se seu cú é tão gostoso quanto à buceta!”

image hostComecei a sentir a cabeça da sua pica forçar o meu anelzinho, e como ele não estava conseguindo, de tão apertado que estava, ele tirou e enfiou várias vezes na bucetinha, que com o nosso gozo anterior ainda dentro dela, estava toda melada e isso acabou facilitanto a invasão do meu cuzinho. Suspirei alto e disse:

“Goza no meu cuzinho papai… goza…”

Isso foi a gota d’água pra ele, me segurando firme pelo quadril foi enfiando aquela pica dura e grossa até os seus bagos encostarem na minha bucetinha e lentamente começou a estocar gostoso.

“Vai putinha do papai… rebola na pica do papai… rebola…!!!”

Comecei a rebolar e a cada estocada ficava com mais tesão ainda, vendo minha vontade, papai enfiou seus dedos na minha bucetinha enquanto me fodia no cúzinho. Entramos numa sincronia tão trande que gozamos ao mesmo tempo e eu mais uma vez fui batizada e ouvi a coisa mais linda que poderia ouvir.

“Que filhinha deliciosa de fuder!!!!”

E esta foi apenas minha primeira foda com papai…. Com papai aprendi o começo o meio e o fim!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s