Minha cunhada adora dar o cú.

Sou noivo de uma morena linda há alguns meses, sendo que ela tem duas irmãs muito gostosas e safadas. Uma delas, a Caroline, tem aproximadamente 28 anos, é baixinha, cabelos pretos, com uns peitinhos que eu sempre sonhei em beijar, e minha noiva conta que ela sempre sai com outros caras, mesmo porque seu marido trabalha em outro estado e ela mora aqui em São Paulo.

A outra irmã, que é mais nova, Sandra, é a mais gostosa das três, é mais alta, tem uns 23 anos, também tem cabelo preto, uma bunda maravilhosa, que eu sempre sonhei em comer, e já fiquei sabendo, através da outra cunhada, o que ela mais gosta de fazer é dar o cuzinho.

Hoje, manhã de um Sábado ensolarado, pedi pra minha noiva, se poderia falar com minhas cunhadas, que moram juntas na mesma casa, se poderia lavar o carro na casa delas, pois moro em apartamento e ela falou que não haveria problema nenhum.

Quando cheguei na casa, já fui abrindo o portão e entrando, para minha surpresa, dei de cara com a Sandra na cozinha com uma camiseta branca até a altura da cintura, sem sutiã, bem curta e pude ver sua minúscula calcinha vermelha, que deixava a polpa de sua bunda ainda mais gostosa.

Ela ficou meio sem jeito ao perceber a secada que eu dei na sua bundinha, mas ficou olhando pra mim, que estava vestindo um short e meu pau, a esta altura, estava duro como pedra, não tendo como esconder, ela vendo o volume do short, deu um sorrisinho sacana e foi para o quarto.

Comecei a lavar o carro e ela veio me ajudar dizendo que a irmã dela era tonta de não me ajudar a lavar o carro com o calor que estava fazendo, vestia a mesma camiseta branca com uma minuscula saia desses tecidos que secam rápido, estava calor e comecei a jogar água no carro e sempre que podia espirrava um pouco nela, queria ver aqueles peitos maravilhosos sob a camiseta que tentava molhar.

Percebi que ela estava lavando o teto do carro e rapidamente dei a volta para poder olhar suas pernas e tentar ver alguma coisa debaixo daquela saia curtíssima, mas para a minha surpresa ela estava sem cacinha, deixando à mostra parte de sua linda bucetinha, que estava toda raspada.

Meu pau ficou duro na hora novamente e não teve como segurar todo meu tesão, ela ficou olhando e dando uma sorrisinho bem maroto, nessa hora ela pediu me para ajudá-la a esfregar o teto.

Foi a minha deixa, encostei atrás dela e comecei a esfregar o meu pau, pingando de tesão sob o short, naquela bundinha semi despida, comecei a beijá-la, ela gostando da situação começou a rebolar, fui beijando suas costas descendo até sua bundinha, como estava sem calcinha, já fui beijando seu cuzinho.

Ela tentou sair, pois estávamos na garagem, falando que eu era louco, eu disse que sabia do que ela gostava, sua irmã já havia me contado algumas de suas transas e que adorava dar o cuzinho, nessa hora ela ficou com muito tesão, e falou:

“Voce já sabe o que eu quero…” – não perdi tempo e voltei a dar um trato no seu cuzinho, enfiando um dedo, depois mais dois, e ela gemendo alto.

Coloquei ela em cima do capô e comecei a chupar a sua buceta, ela gemendo alto, eu falando que sempre tive vontade de fuder aquele cuzinho gostoso dela, chamando ela de vadia, tratando como uma biscate, ela adorou, e fazendo uma carinha bem safada implorou:

“Aí…. seu puto safado…. mete logo essa pica gostosa no meu cuzinho senão eu fico louca…”

Virei ela de costas novamente e dei alguns tapas de leve naquela bundinha durinha e gostosa, que eu sabia adorar ser preenchida por um pedaço de nervo bem duro e pulsante.

image host

Primeiramente meti o meu pau naquela bucetinha toda molhada, ardendo de tesão, dava mais tapas em sua bundinha e ela gritava:

“Mais rápido… soca mais rápido…!!!”

Aumentei então o ritmo das estocadas e logo seu corpo começou a dar espasmos de tesão, gozava com meu pau todo atolado na sua buceta, e começou a pedir:

“Iiissoooo… seu puuuuutttoooo…. fode a sua cunhadinha… fode… fode logo o meu cuzinho… fode… vai… vai… vaaaaiiii… não para…eu puto…ode gostoso a sua putinha… fooodeee!!!”

image host

Mais que depressa, dei umas pinceladas naquele cuzinho que a essa hora estava piscando de tanto tesão, forcei aquele botãozinho com a cabeça da minha rola e ela gritava:

“Eu quero tudo… logo… vai… vai… vaaaaiiii…” – enterrei até o talo e ela começou a chorar, a gemer e a gritar de tesão, dei mais algumas bombadas e ela não agüentou e gozou novamente.

Falei que ia gozar e queria gozar na boca dela, mais que depressa ela começou um boquete, foi ela dar umas três chupadas e sua boca já se encheu com meu leitinho quente, ela ameaçou cuspir tudo e falei que era pra engolir, e ela me atendeu engolindo tudo e deixando meu pau limpinho, ficamos algum tempo ali sentados próximos do carro.

Já tinha escutado suas histórias, mas nunca tinha me imaginado fazendo parte de uma delas, espero que eu volte a comer aquela bundinha safada e escutar seus gritos de tesão.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s